Cuidados a ter com os animais de estimação durante a época festiva

Todos nós sabemos que nesta altura estamos mais propícios a dar um miminho aos nossos patudos, um pequeno chocolate no Natal, um pouco de champagne no Ano Novo e a lista de erros que cometemos na alimentação dos nossos bichinhos por aí continua, não é por maldade, mas é sim, por falta de conhecimento! É exatamente por esse motivo que escrevo este artigo a fim de evitar intoxicações alimentares nos nossos animais de companhia!

ÁLCOOL

As bebidas alcoólicas e géneros alimentícios que contenham álcool podem causar problemas como vómitos, diarreia, diminuição da coordenação, depressão do sistema nervoso central, que variam de sonolência até mesmo ao coma do animal, dificuldade respiratória, tremores e por vezes levando à morte. Por tanto recomendo que de forma alguma deixe o seu bichinho ingerir álcool.

CHOCOLATE, CAFEÍNA

Todos estes géneros alimentícios contêm uma substância chamada metilxantina, que tem um alto poder de estimulação do sistema nervoso central, encontradas nas sementes de cacau, nos frutos da planta usada para fazer café, nas nozes e nos extratos usados em alguns refrigerantes e chás. Quando ingeridas pelos nossos patudos, as metilxantinas podem causar vómitos e diarreia, arfar, sede e urina excessiva, hiperatividade, aumento do ritmo cardíaco, tremores, convulsões e até mesmo a morte.

CITRINOS

Os ramos, folhas, cascas, frutas e sementes de plantas cítricas contêm quantidades variáveis ​​de ácido cítrico, óleos essenciais que podem causar irritação e possivelmente até depressão do sistema nervoso central, se ingeridos em grandes quantidades. Doses pequenas não deverão ser causadoras de danos no sistema gastrointestinal do bichinho mas são de evitar de qualquer das formas.

UVAS, PASSAS

Tenha atenção às passas no Ano Novo, a substância tóxica dentro de uvas e das passas é desconhecida, sendo que estas frutas podem causar insuficiência renal. Até que mais informações sejam conhecidas sobre a substância tóxica e a sua toxicidade, o melhor é evitar alimentar, especialmente cães, com uvas e passas.

NOZES, AMÊNDOAS

Como já foi referido anteriormente as nozes são tóxicas para os nossos animais, podendo causar fraqueza, depressão, vómitos, tremores e hipertermia em cães. Os sinais de intoxicação por nozes, geralmente aparecem dentro de 12 horas após a sua ingestão e podem durar entre 12 a 48 horas. Estes produtos tem uma grande quantidade de óleos e gorduras podendo causar também pancreatites nos nossos patudos.

LEITE, LACTICÍNIOS

Estes produtos causam diarreia ou outras perturbações digestivas aos bichinhos porque estes não possuem quantidades significativas de lactase (a enzima que decompõe a lactose no leite).

CARNE CRUA, OVOS e OSSOS

Carne crua e ovos crus ou mal cozinhados podem conter bactérias patogénicas como Salmonella e E. coli, que são prejudiciais para os nossos animais de estimação e também para nós, humanos. Ovos crus podem provocar problemas de pele e pelagem. Alimentar os patudos com ossos crus pode parecer uma opção, natural e saudável, simulando a alimentação que o animal teria em estado selvagem. No entanto, esse tipo de alimentação pode ser muito perigosa para o seu animal doméstico, levando este a engasgar-se com os ossos, ou sofrer de uma lesão grave caso o osso estilhasse e se aloje ou perfure o trato digestivo do animal.

CEBOLA, ALHO, CEBOLINHO

Estes vegetais tão utilizados na cozinha tradicional portuguesa, podem causar irritação gastrointestinal e levar a danos nos glóbulos vermelhas do sangue. Embora os gatos sejam mais suscetíveis, os cães também correm risco caso ingiram uma quantidade destes alimentos.

SAL, SALGADOS

Grandes quantidades de sal podem provocar sede e urina em excesso, ou até levar ao envenenamento por iões de sódio. Os sinais que podem ser apresentados pelo patudo que ingeriu grande quantidade de alimentos salgados incluem vômitos, diarreia, depressão, tremores, temperatura corporal elevada, convulsões e até a morte. Como tal, é de evitar o consumo de salgadinhos, batatas fritas e pipocas salgadas por parte dos seus animais de estimação.

GOMAS, DOCES

A substância xilitol é usada como adoçante de muitos géneros alimentícios, incluindo gomas, doces, bolachas ​​e até pasta de dentes. A substância leva à liberação de insulina na maioria das espécies, o que pode provocar insuficiência hepática e a hipoglicemia (diminuição dos níveis de açúcar). Os sinais iniciais que o animal intoxicado vai apresentar incluem vômitos e perda da coordenação motora. Podendo estes sinais progredir para convulsões.

MASSA DE LEVEDURA

Pode fazer com que haja acumulação de gás no sistema digestivo por vezes provocando dor e desconforto para o animal e também podendo causar inchaço do estômago e potencial torção do mesmo, tornando-se assim numa emergência clínica com risco de vida para o seu patudo.

CONCLUSÃO

Caso suspeite que o seu cão tenha ingerido algum dos alimentos mencionados acima contacte de imediato o seu veterinário para que tudo corra da melhor forma e o estado de saúde do seu fiel amigo não se agrave!

SOBRE O AUTOR
Este artigo foi escrito para a VOST Portugal, por André Serol, aluno do 3º ano do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, a convite da VOST Portugal.

Cuidados a ter com os animais de estimação durante a época festiva
Scroll to top